Pages Menu
TwitterFacebook
Categories Menu

Posted by in Especial | 0 comments

Artigo 5/5: Estratégias e formatos para produzir e distribuir conteúdo sobre marcas

Artigo 5/5: Estratégias e formatos para produzir e distribuir conteúdo sobre marcas

Por Ariel Rossi Griffante

Conteúdo que possa ser lido em diversas plataformas, tanto por seres humanos como por máquinas. Esta é grande tendência apontada pelo Content Marketing Brasil, evento online realizado no final do mês passado, a respeito das perspectivas da nova comunicação de marcas para os próximos anos.

Ao mesmo tempo, a produção em vídeo deve se consolidar como principal canal de divulgação e relacionamento das empresas, sem que isso signifique, no entanto, a extinção das demais mídias hoje utilizadas. “É o conceito de Conteúdo Inteligente. Não vai demorar para serem  associados rótulos de dados e conteúdos, estabelecendo-se relações entre eles”, projeta o consultor da Tracto, André Rosa.

Para o especialista norte-americano Joe Pulizzi, tudo continuará passando pelo objetivo fundamental de criar um público fiel a partir daquilo que legitima a marca, dando-lhe base para criar ou adquirir uma plataforma de divulgação. Com isso, ele aponta um entendimento crescente já verificado nos EUA: o de que plataformas externas, como as redes sociais, devem ser usadas para distribuição de conteúdo, não como criação da audiência. “Não se pode ter o controle de algo que se quer comunicar em um canal alheio. Eles acabam controlando sua comunicação. Aquela audiência é do Facebook, não sua”, salienta.

Foco nos mobiles

Outra tendência crescente é a produção de conteúdo pensada, primeiramente, em smartphones e tablets, especialmente o relacionado à social media. “O Periscope hoje tem 7 milhões de usuários e vai chegar a 100 milhões. O mobile em breve vai ser uma plataforma mais importante do que os desktops”, observa o consultor irlandês Ian Cleary (foto abaixo).

Em virtude disso, acrescenta o norte-americano Josh Miles, a própria construção de sites – plataforma principal das marcas – deve priorizar os dispositivos móveis. “O mobile está ultrapassando o resto no tráfego de informação. É preciso começar por ele e oferecer uma boa experiência em todas as plataformas”, sugere. De tal forma, o vídeo a automação do marketing surgem como caminhos efetivos para produtos e serviços serem posicionados como úteis para a base de clientes. “O vídeo é uma forma barata e interessante de contar uma história”, define o dinamarquês Joakim Ditlev (foto abaixo).

Múltipla utilização

A interconectividade entre plataformas e Conteúdo Inteligente vem pautando o debate em mercados avançados do Content Marketing, como os EUA, conforme o consultor da Tracto, Cassio Politi. “O momento é de pensar em conteúdos reutilizáveis, conectados de forma inteligente e disponibilizados em lugares diferentes”, indica.

“Se decidimos criar conteúdo, precisamos vê-lo como um ativo da empresa, algo grande, a ser usado mais de uma vez, para alcançar múltiplos públicos-alvos. Construí-lo em pacotes e usar tecnologia na execução e distribuição”, complementa Joe Pulizzi, acrescentando que o conjunto de recursos técnicos e competências da empresa devem incrementar o plano estratégico de comunicação: “Os diretores de tecnologia e de finanças devem alinhar o negócio ao redor de uma boa história”.

 

Está gostando da Revista Live?

Então assine nosso conteúdo e receba por e-mail nossas atualizações.

Assinatura concluída com sucesso!

Post a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This