Pages Menu
TwitterFacebook
Categories Menu

Posted by in Artigos | 0 comments

Um retorno às origens, um resgate da simplicidade

 

12179246_10207738260437522_219329034_n
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin

 

 

Por Eline Prando, editora do blog Mel e Pimenta
e colunista da revista Donna, do Grupo RBS


Nas últimas décadas, em função da correria do cotidiano, da entrada da mulher no mercado de trabalho e das tendências de foco quase total na carreira, o ato de cozinhar em casa foi ficando de lado e esse espaço foi sendo preenchido pela popularização dos fast-foods e pela massiva entrada de produtos industrializados oferecendo a “praticidade” tão necessária.

Essa entrada da indústria alimentícia resultou no desenvolvimento de uma série de novos produtos e novas fórmulas para conservar os alimentos, e assim atender a essa geração com pouco tempo, com vida corrida e ávida na busca de refeições práticas para facilitar a vida.

Com isso, inserimos em nossas vidas uma série de produtos artificiais, com conservantes, muito sódio e outros ingredientes nocivos à saúde.

Felizmente nos últimos anos, depois dessa onda de comidas prontas, percebe-se nova tendência que chega com muita força. Mesmo que nossa vida continue corrida, que a carreira profissional seja nosso foco, o aroma da nossa comida está mudando, agora as pessoas se reúnem em volta da mesa para comer pratos com sabor caseiro, ingredientes frescos e mais saudáveis.

A tendência gastronômica conhecida pelo nome de comfort food, ou comida que conforta, gera um resgate da nossa memória gustativa ligada à infância, é carregada de nostalgia e prazer em degustar sabores simples, mas cheios de afeto.

Estamos voltando a valorizar as coisas simples da vida, resgatamos o preparo do nosso alimento, o almoço feito pela avó, o lanche caseiro que o filho leva para a escola, o piquenique no parque, e até a marmita está sendo levada ao trabalho com todo o orgulho.

Essas mudanças culturais chegam carregadas de respeito pelo alimento e preocupação com a saúde. Hoje o ato de se alimentar é mais consciente, queremos saber a origem e a composição do que estamos ingerindo, deixamos de lado o desejo pela marca famosa para escolher o orgânico, produzido perto de nossa casa.

Estamos vivenciando uma fase em que as pessoas sentem orgulho de ir para a cozinha e de preparar um prato para a família ou para reunir os amigos, estamos nos arriscando, mesmo sem ter grandes dotes culinários, pois o mais importante é o afeto, é a importância do momento de reunir as pessoas em volta da mesa e saborear uma comida de qualidade.

Acompanhando essa valorização do alimento preparado em casa, cada vez mais têm surgido blogs de culinária, por trás deles, existem pessoas que na maioria das vezes não possuem formação na área da gastronomia, mas que acreditam no poder afetivo do alimento, e usam seus blogs para compartilhar suas experiências e as receitas preparadas para suas famílias e amigos.

A essência desse trabalho feito pela blogosfera de culinária é o compartilhamento, e seguindo essa lógica, esses profissionais se unem para dividir o que sabem, formam-se grupos para estudos e troca de informações entre os blogueiros da área.

Em setembro, por exemplo, aconteceu em São Paulo a 4ª edição do Encontro Gourmet, que reuniu 160 editores de blogs de todo o Brasil para integração, troca de experiências e participação em oficinas com profissionais da gastronomia. Além dos blogueiros, 20 participantes do programa MasterChef Brasil, da Band, prestigiaram o encontro.

O evento, que é organizado pelas blogueiras Cecília Padilha, Sandra Reis e Daniella Abolin, aconteceu na Faculdade de Gastronomia da Faculdade Estácio de Sá que disponibiliza toda a sua estrutura de cozinhas profissionais. Além disso, o evento é construído junto com os fornecedores que patrocinam, acreditam e apostam no trabalho destes profissionais.

O trabalho desenvolvido pela blogosfera de culinária tem um importante papel para a população, pois esse trabalho caseiro, mas muito profissional serve para instigar e convencer cada vez mais pessoas a prepararem, elas mesmas, seu alimento. Essas pessoas ajudam a desmistificar o ato de cozinhar, e transformá-lo em um privilégio de todos.

Aproveite essa linda fase da gastronomia, deixe-se levar pelos sabores da simplicidade, e lembre-se que ser saudável passa por preparar seu próprio alimento.

***

Concorda? Tem comentários? Críticas? Sugestões?
E acompanhe, toda segunda-feira, tem novo artigo aqui na Revista Live.

 

Está gostando da Revista Live?

Então assine nosso conteúdo e receba por e-mail nossas atualizações.

Assinatura concluída com sucesso!

Post a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This